Páginas

Pesquisar este blog


24/11/21

 

É #FAKE que deixar registro do gás de cozinha meio fechado reduz consumo pela metade

É #FAKE que deixar registro do gás de cozinha meio fechado reduz consumo pela metade

 Foto: Reprodução

Roney Domingos, g1

Circula nas redes sociais um vídeo em que um homem diz que deixar o registro do botijão de gás de cozinha meio fechado reduz o consumo em 50%. É #FAKE.

"Eu fiz um teste e está funcionando muito bem. O gás dura 50% a mais só com isso que eu vou mostrar pra você agora. E não perde a qualidade do fogo. Ao invés de você abrir por completo, você vai fazer isso aqui. É como se fosse uma torneira. Se você abre muito, sai muita água. Se você fecha um pouco, continua saindo água, só que em uma quantidade menor. Em vez de deixar ele em pé, para sair todo o gás, você vai deixar metade fechado. Não tem perigo de explodir. Não perde a qualidade nenhuma na chama", diz o homem no vídeo viral, que tem milhões de visualizações.

Especialistas ouvidos pelo g1 deixam claro que a teoria não tem fundamento e pode implicar risco à segurança do usuário, além de desperdício de gás.

"Não é isso que vai determinar a questão do consumo. Na verdade pode até gerar uma questão de segurança para o usuário", diz Claudio Garcia, engenheiro de aplicação da divisão de reguladores de gás na Aliança Metalúrgica.

Ele explica que o regulador reduz em 250 vezes a pressão do gás que sai do botijão, que está em alta pressão, para o consumo no fogão, que é de baixa pressão.

"A partir do momento em que você restringe a passagem do gás, você vai ter essa queda de pressão. Quando você tem essa queda de pressão, ao usar o botijão, ela vai se refletir também no regulador, porque quanto menor a pressão de entrada no regulador, menor a saída. A partir do momento em que está trabalhando próximo da mínima, quando a pessoa ligar o fogão, a chama vai estar em baixa pressão. Alguns fatores podem fazer essa chama apagar e a pessoa não perceber, como, por exemplo, um vento. Pode vazar gás por essa boca que apagou. E pode acontecer um acidente", diz.

O segundo motivo, segundo Garcia, é a falsa sensação de economia. "Quando o botijão estiver na mínima dele, vai ter essa queda de pressão abaixo do que o fogão consegue trabalhar. Logo, vai dar aquela sensação de que o botijão acabou, embora ainda tenha gás disponível para queima. Então, resumindo a situação, vai trazer para o usuário aquela falsa sensação de economia, tendo em vista que ele devolverá para a companhia de gás o GLP ainda disponível para uso."

Garcia resume as recomendações. "O que é determinante: ter um regulador dentro do prazo de validade e utilizá-lo 100% aberto, para ter o melhor desempenho. Ou 100% fechado, caso a pessoa queira fechar o regulador, em caso de viagem, por exemplo. Nunca semiaberto. Porque se deixar semiaberto, vai ter essa queda de pressão ao longo do uso e isso pode comprometer a segurança do usuário e a pessoa pode estar tendo uma falsa sensação de economia."

A Aliança esclarece em um cartaz que a mensagem é falsa. "A função de um regulador para gás é reduzir a pressão e ter um melhor desempenho no consumo de gás do botijão. Alguns fatores podem influenciar no consumo de gás do botijão:

  • regulador fora do prazo de validade
  • modelo do equipamento de queima
  • composição do GLP
  • temperatura externa

Ao abrir parcialmente o registro do regulador, você restringe a quantidade de gás que vai para o equipamento de queima (fogão doméstico). Isso talvez reduza a combustão no queimador, causando assim um vazamento. Isso pode comprometer sua segurança. Portanto essa informação é fake."


É #FAKE que deixar registro do gás de cozinha meio fechado reduz consumo
É #FAKE que deixar registro do gás de cozinha meio fechado reduz consumo Foto: Reprodução

"A ação de reduzir a vazão de gás, através da abertura parcial da válvula de bloqueio do regulador de pressão do botijão doméstico, apenas reduz a quantidade de gás disponível para queima, o que não significa que o rendimento de queima ou os resultados de cocção irão se manter iguais nem melhorar", explica Rogerio Teramoto, coordenador técnico da Liquigás em São Paulo .

"Reduzindo a quantidade de gás, a aparência da chama pode até manter-se parecida, mas fornecerá menos calorias para o processo de cocção, aumentando assim os tempos de cozimento, além de desregular a mistura ideal entre ar e gás antes do bico queimador, levando a um aumento de consumo de gás, além de proporcionar riscos de segurança com o desgaste irregular da vedação interna da válvula de bloqueio em razão de posição inadequada de operação, provável fato gerador de futuro vazamento de gás", complementa.

Ele afirma que vale mais a pena manter o fogão e seus queimadores limpos e desimpedidos para obter o melhor rendimento de queima e, assim, obter economia com o uso correto do GLP.


fonte:https://extra.globo.com/

Nenhum comentário:

Postar um comentário