Páginas

Pesquisar este blog


14/01/22

SAP suspende visitas presenciais na Penitenciária de Osvaldo Cruz após confirmações de Covid-19 em presos

Pode ser uma imagem de 1 pessoa e ao ar livre

Foto: Reprodução/TV Fronteira

De 76 detentos que foram submetidos a exames, 43 tiveram diagnóstico positivo para a doença. Sifuspesp alega que contágios podem ter relação com a saída temporária de fim de ano.
Por g1 Presidente Prudente e TV Fronteira
A Secretaria da Administração Penitenciária do Estado de São Paulo (SAP) suspendeu as visitas na Penitenciária de Osvaldo Cruz (SP) nestes sábado (15) e domingo (16) após confirmações de Covid-19 entre detentos da unidade.
A medida foi tomada após um pedido do Sindicato dos Funcionários do Sistema Prisional do Estado de São Paulo (Sifuspesp) que solicitou à Coordenadoria de Unidades Prisionais da Região Oeste do Estado (Croeste) a suspensão das visitas presenciais e o adiamento da prova do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), marcada inicialmente para domingo(16).
Segundo o Sifuspesp, dos 76 detentos que foram submetidos a exames na terça-feira (11) e na quarta-feira (12), 43 tiveram diagnóstico positivo para a Covid-19, ou mais da metade do total. Todos foram isolados.
Atualmente, a unidade prisional tem uma população carcerária de 1.018 detentos, para uma capacidade de 844.
Desse total, 140 haviam deixado a unidade para a saída temporária prevista em lei, entre 23 de dezembro de 2021 e 3 de janeiro de 2022, e 139 retornaram.
“Esse contato entre os presos e outras pessoas fora dos muros pode ter relação com os contágios, apesar de não haver informações sobre quantos dos que saíram estão contaminados”, de acordo com o sindicato.
A diretoria do sindicato solicitou à Croeste a suspensão das visitas presenciais do próximo final de semana, a exemplo do que foi feito em pavilhões de outras unidades prisionais que haviam apresentado muitos casos de sintomas gripais entre os presos.
Também foi pedido o adiamento da prova do Enem, marcada inicialmente para domingo(16).
“Por outro lado, a Secretaria de Administração Penitenciária (SAP) não tem exigido das famílias dos detentos os comprovantes da vacinação que previne o contágio pela Covid-19, feita a exceção aos idosos acima de 60 anos”, alega o sindicato.
Para o Sifuspesp, o bloqueio do acesso dos não vacinados às unidades é necessário porque ajuda a evitar a proliferação do vírus.
O sindicato orienta todos os trabalhadores do sistema prisional a se vacinarem em dia, inclusive com a dose de reforço, e a continuarem a cumprir os protocolos sanitários de prevenção, entre eles o uso de máscara de proteção, de álcool gel e o distanciamento social, segundo o Sifuspesp.
SAP
Em nota à TV Fronteira, a Secretaria da Administração Penitenciária (SAP) Informou que 43 presos testaram positivo para Covid-19 na Penitenciária de Osvaldo Cruz em 2022.
“Foi suspensa a visitação na unidade no próximo fim de semana (15 e 16/01)”, informou a SAP.
A SAP esclareceu ao g1 que segue um protocolo médico diante de casos de Covid-19 ou de presos com sintomas gripais e as suspensões, tanto das visitas como da aplicação da prova do Enem, foram baseadas em critérios técnicos e adotadas após recomendação do Comitê Científico. As medidas tomadas não têm relação com o pedido do sindicato, informou a secretaria.
Quarenta e três presos testaram positivo para Covid-19 na Penitenciária de Osvaldo Cruz em 2022 e todos estão em isolamento, recebendo o devido tratamento. Cem por cento da população prisional e de servidores do estado está imunizada com o ciclo vacinal completo e atualmente está em andamento a aplicação da terceira dose, alegou a SAP ao g1.
A pasta estadual esclareceu que nos casos suspeitos entre os presos, o paciente é isolado e a Vigilância Epidemiológica local é contatada. Os servidores em contato com o paciente devem usar mecanismos de proteção padrão, como máscaras e luvas descartáveis. Se confirmado o diagnóstico, o preso é mantido em isolamento na enfermaria durante todo o período de tratamento, conforme a SAP.
“Também foram intensificadas a limpeza nos ambientes e orientação para uso de máscaras, higienização das mãos e uso de álcool em gel, além de monitoramento dos grupos de riscos. Servidores com sintoma gripal são orientados pela equipe de saúde sobre o tratamento necessário”, concluiu a SAP.

Nenhum comentário:

Postar um comentário