Páginas

Pesquisar este blog

30/03/21

Polícia investiga grupo suspeito de organizar farra do boi em SC; vídeo flagra fuga de animal que caiu em piscina

Pode ser uma imagem de piscina

Foto: Reprodução/GOR

Durante a ocorrência no sábado, o animal que tentava fugir dos infratores invadiu uma pousada. A prática de farra do boi é crime.
Por Caroline Borges
A Polícia Civil investiga se os participantes da farra do boi registrada no sábado (27) em Bombinhas, Litoral Norte, são os mesmos integrantes de um grupo que organizou outros eventos na região no ano passado. Segundo o delegado Ricardo Melo, imagens das câmeras de monitoramento da cidade devem integrar às investigações e um novo inquérito será aberto na tarde desta segunda-feira (29).
De acordo com o Grupo de Operações e Resgate (GOR), que atuou na ocorrência, cerca de 50 pessoas corriam atrás do boi. Na fuga, o animal danificou carros e casas, incluindo um veículo da Polícia Militar e do próprio GOR. Ninguém foi preso. A prática de farra do boi é crime (veja o vídeo acima).
O animal também invadiu uma pousada e caiu na piscina. Cansado e assustado, ele o boi foi capturado e sacrificado.
Segundo o delegado, estão as investigações sobre os eventos que ocorreram no ano passado serão concluídas com o indiciamento do grupo nesta semana. O número de suspeitos e outros detalhes não foram repassados.
"A gente vai identificar se são os mesmo. Ainda, se tiver indivíduos reiteradamente envolvidos nessa situação, nesse ano de novo, nós vamos representar, inclusive, por prisão preventiva dessas pessoas que já foram investigadas no ano passado", disse.
Investigação
Durante as investigações das denúncias de farras de boi feitas em 2020, a Polícia Civil descobriu o envolvimento de um fornecedor de Tijucas, na Grande Florianópolis, que seria o responsável por encontrar os animais.
Já o organizador seria de Bombinhas e, além deles, a polícia identificou integrantes e farristas que participam e financiam os eventos nas cidades de Porto Belo e Governador Celso Ramos.
"O que a gente tem é a conclusão da investigação da prática da farra do boi que ocorreu principalmente no ano passado. A gente identificou uma verdadeira associação criminosa voltada para essa prática, não só em Bombinhas, mas em toda a região", afirmou.
Além do crime de maus-tratos, o grupo deve ser indiciado por associação criminosa, adulteração de identificação de veículo utilizado no transporte dos animais. Ao menos oito animais vítimas do grupo foram resgatados.
Crime
A farra do boi é considerada crime, de acordo com o artigo 32 da Lei n. 9.605/1998, conforme acórdão do Supremo Tribunal Federal (STF). A pena para quem comete é de três meses a um ano de detenção, com aumento de um terço da pena em caso de morte do animal.

Nenhum comentário:

Postar um comentário