Páginas

Pesquisar este blog

21/05/21

Polícia Civil investiga suspeita de envolvimento dos próprios pais na morte de bebê de apenas 2 meses de vida em Presidente Prudente

Pode ser uma imagem de carro e estrada

Criança chegou a ser encaminhada à unidade da Estratégia de Saúde da Família (ESF) do Jardim Morada do Sol, mas não resistiu.
Por Stephanie Fonseca, Aline Costa, Heloise Hamada, Thamires Fonseca, Emerson Sanchez, Bruna Bachega e Allysson Fortaleza, G1 Presidente Prudente e TV Fronteira
A Polícia Civil investiga a morte de um bebê, de apenas dois meses de vida, nesta sexta-feira (21), em Presidente Prudente (SP).
Uma das suspeitas em apuração é o eventual envolvimento do pai e da mãe da criança na morte do bebê.
O homem, de 31 anos, e a mulher, de 21 anos, foram detidos e levados à Delegacia Participativa para prestarem depoimento à Polícia Civil.
A criança chegou a ser encaminhada para a unidade da Estratégia de Saúde da Família (ESF) do Jardim Morada do Sol, mas não resistiu.
Segundo informações repassadas ao G1 pela Polícia Militar, o menino foi levado pelo próprio pai e deu entrada na unidade de saúde com lesões aparentes. Na ESF, foi constatado o óbito.
Os pais do bebê foram conduzidos para a Delegacia Participativa da Polícia Civil como possíveis autores da lesão corporal seguida de morte. A retirada dos suspeitos do local também ocorreu para evitar eventual linchamento em razão da comoção popular causada pela morte da criança.
A casa onde reside a família e a unidade de saúde foram preservadas pela PM para o trabalho da equipe da perícia técnica da Polícia Científica.
A PM ainda detalhou ao G1 que o casal era usuário de drogas e já havia relatos anteriores de agressão. Em uma das ocasiões, a criança teria sofrido uma fratura.
O Conselho Tutelar já acompanhava a família, que também mora no bairro Jardim Morada do Sol.
O corpo da criança foi encaminhado ao Instituto Médico Legal (IML).
A tenente Carla Aparecida de Araújo Barbosa contou à TV Fronteira que a Polícia Militar foi acionada para o atendimento de um suposto “homicídio culposo” pela unidade de saúde do Jardim Morada do Sol e, quando chegou ao local, constatou que havia um bebê de dois meses em óbito.
Conforme a oficial, o óbito foi constatado pelo médico do local.
“Esse bebê encontrava-se com vários hematomas pelo corpo, sangramento pela boca e pelo ouvido”, disse a tenente.
No local, também estavam os pais do bebê, que foram conduzidos até a Delegacia Participativa de Presidente Prudente e apresentados à Polícia Civil.
Ainda de acordo com a tenente da PM, a criança estava em estado “bem debilitado, provavelmente já em óbito”, quando chegou à unidade de saúde.
Investigações
A Polícia Civil informou ao G1 que investiga como foram causados e se tiveram relação com a morte da criança os sinais de lesões encontrados no corpo do bebê.
Segundo a polícia, o bebê apresentava sinais de ferimentos nos dois braços.
No entanto, ainda segundo a polícia, essas são marcas de lesões mais antigas. Uma delas motivou o atendimento da criança no último dia 5 de maio no Hospital Regional (HR), em Presidente Prudente.
O bebê não tem lesões causadas recentemente, de acordo com a Polícia Civil.
A justificativa dos pais, para as duas lesões, é de que eles haviam dormido em cima dos braços da criança.
Já foi apurado nesta sexta-feira (21) que, durante a noite, o bebê havia passado mal e pela manhã já estava desfalecido, quando foi levado para a unidade de saúde no bairro.
O pai levou o bebê no colo, a pé, à ESF do Jardim Morada do Sol, onde um médico chegou a fazer aspiração na criança, que não resistiu.
O delegado Eduardo Iasco disse ao G1 que a perícia foi à casa da família e não encontrou no imóvel sinais de desarrumação.
Foram observadas na casa poucas marcas de sangue, que a polícia acredita que possam ter sido de vômito do bebê e de menstruação da mãe.
A Polícia Civil aguarda os laudos do IML, para onde o corpo do bebê foi levado, com o objetivo de identificar eventuais sinais de violência contra a criança.
Os pais estão na delegacia, onde vão ser ouvidos formalmente pela Polícia Civil.
Segundo a polícia, eles aparentam estarem abalados com a situação, mas ainda não sabem da morte do bebê.
Ainda segundo a polícia, o casal também não aparenta ser usuário de drogas.
Uma parente que também mora no mesmo quintal foi quem ajudou a socorrer o bebê e disse ao G1 que nunca presenciou nenhuma cena de agressão.
A mulher ainda falou que, durante a noite desta quinta-feira (20), o bebê chorou das 20h às 23h.
Prefeitura
A TV Fronteira solicitou à Prefeitura de Presidente Prudente um posicionamento sobre o caso. O Poder Executivo respondeu por meio de nota oficial, que segue abaixo na íntegra:
"A Prefeitura de Presidente Prudente, por meio da Secretaria Municipal de Saúde, informa que, por volta das 9h15 de hoje, deu entrada na ESF Morada do Sol, um bebê de dois meses e 20 dias já sem os sinais vitais. O médico de plantão da ESF tentou reanimar o bebê, porém, não houve sucesso e foi constatada a morte. O corpo será encaminhado ao Instituto Médico-Legal para que haja a apuração das causas do óbito. A gerência da ESF também acionou a polícia, que compareceu à unidade e conduziu os pais a prestarem depoimento, dando início às investigações".
Ao G1, a Prefeitura ainda explicou que, por questões de segurança, os atendimentos na ESF do Jardim Morada do Sol foram suspensos nesta sexta-feira (21).
O Poder Executivo enfatizou que, como o corpo do bebê ainda aguardava a transferência para o IML, a Secretaria Municipal de Saúde considerou prudente suspender os atendimentos em razão da comoção que essa ocorrência causou na comunidade do bairro.

Nenhum comentário:

Postar um comentário