Páginas

Pesquisar este blog

06/06/21

 GARDÊNIA CAVALCANTI

Parto prematuro: especialistas explicam os riscos

Filho de Whindersson Nunes morreu apenas dois dias após o parto




POR O DIA
Nesta segunda-feira (31/05) uma notícia muito triste deixou todo o país de luto: a morte do filho do humorista Whindersson Nunes e de Maria Lina, que nasceu prematuro. O bebê João Miguel nasceu no último sábado (29/05), em São Paulo, com apenas 22 semanas de gestação e estava internado em uma UTI pediátrica.
A notícia acendeu um alerta. Quais os riscos do nascimento de um bebê tão prematuro? Existem chances de uma criança como esta sobreviver? O que os pais podem fazer nestes casos? Dados da Organização Mundial da Saúde (OMS) mostram que 15 milhões de bebês nascem de forma prematura por ano o mundo. Um bebê que nasce antes de 37 semanas de gestação é considerado prematuro e para avaliar esse problema que atinge tantas mães e pais no planeta, nós conversamos com especialistas no assunto.
As causas do parto antecipado e da morte do bebê do humorista não foram divulgadas. A médica Letícia Piccolo, ginecologista e obstetra, com especialização em reprodução e fertilização humana, destacou quais os principais sinais de perigo nesses casos.
- Existem algumas causas que levam a um trabalho de parto prematuro. Causas comuns são infecções, como uma infecção urinária, por exemplo ou quando existe uma “incompetência” do colo do útero, que não consegue segurar ou não tem força suficiente para manter a gravidez e acaba cedendo, com isso o parto acontece – explica Letícia.
Para quem está esperando um bebê e quer saber o que fazer para evitar esse problema, a médica explica os cuidados que toda gestante deve ter.
- A futura mamãe deve estar sempre atenta, pois as grávidas têm uma predisposição muito grande para infecção urinária. E essa infecção pode acontecer sem apresentar sintomas. Então é importante fazer exames de urina durante o pré-natal e se tiver infecção, tratá-la rapidamente. Também é fundamental fazer exames no colo do útero, como o toque e ultrassom, para identificar problemas e fazer o diagnóstico precoce. Caso tenha problemas, a gestante deve fazer repouso e usar por exemplo progesterona, para segurar a gravidez ao máximo – explica a obstetra.
Para o médico Leandro Giro, chefe da UTI do Hospital Prontobaby, o atendimento a prematuros já evoluiu muito. Hoje a chance de bebês assim sobreviverem é bem maior
- Na década de 60, somente metade dos bebês nascidos com 30 semanas conseguia sobreviver. Hoje, recém-nascidos já têm chances a partir das 23-24 semanas. Abaixo desta idade, a situação é mais complicada. Os recém-nascidos com idade gestacional menor do que 23 semanas e peso inferior a 500 gramas são considerados extremamente imaturos, não têm praticamente nenhuma chance de sobrevida livre de sequelas – lamenta Leandro.

Nenhum comentário:

Postar um comentário