Páginas

Pesquisar este blog


11/07/21

Homem morre após ser atacado por tubarão na praia de Piedade, em Jaboatão dos Guararapes

Pode ser uma imagem de 3 pessoas, pessoas em pé, corpo d'água e praia

Foto: Reprodução/WhatsApp

Caso foi registrados neste sábado (10), na área conhecida como Igrejinha de Piedade, onde já tinham acontecido outros ataques. Desde 1992, foram 62 incidentes e 25 óbitos, no estado.
Por G1 PE
Um homem de 51 anos morreu após ser atacado por um tubarão, neste sábado (10), na praia de Piedade, em Jaboatão dos Guararapes, no Grande Recife. Marcelo Rocha Santos chegou sem vida ao Hospital da Restauração (HR), na área central da capital pernambucana (veja vídeo acima).
Desde 1992, quando começaram a ser registrados os ataques no litoral pernambucano, foram notificados outros 65 incidentes com tubarão. Os dados são do Comitê Estadual de Monitoramento (Cemit). Ao todo, houve 25 outras mortes, nesse período.
O ataque deste sábado ocorreu na área conhecida como Igrejinha de Piedade, onde já tinham acontecido outros 12 casos. No local, há um posto de guarda-vidas.
A vítima teve lesões graves na coxa e em uma das mãos, que foi amputada, de acordo com os bombeiros
O ataque deste sábado ocorreu na área conhecida como Igrejinha de Piedade, onde já tinham acontecido outros 12 casos. No local, há um posto de guarda-vidas.
A vítima teve lesões graves na coxa e em uma das mãos, que foi amputada, de acordo com os bombeiros
Testemunha do ataque, o mecânico Edriano Gomes afirmou que a vítima estava bebendo com amigos. Por volta das 14h o homem entrou na água. O tempo tinha ficado nublado e a maré estava enchendo.
Quando o tubarão atacou, segundo Edriano Gomes, havia apenas uma outra pessoa no mar, além da vítima.
"Era um amigo meu que estava no mar com a pessoa que foi atacada. De repente, ele viu o homem se debatendo. Havia muito sangue na água", contou.
O vidraceiro Ademir Sebastião da Silva estava na água ao lado do do homem que foi atacado pelo tubarão. Ele contou que viu a vítima cambaleando e a água suja de sangue.
“Como a praia não tem banheiro, entrei no mar para fazer xixi. Estava ao lado ele, com água na altura da cintura”, afirmou.
Ademir disse, ainda, que os amigos de Marcelo Rocha puxaram ele para areia. “Ele já caiu desacordado”, declarou.
O vidraceiro contou também que ficou desesperado com a situação. “Poderia ser comigo. Foi livramento de Deus. Se eu estivesse mergulhando ou demorasse mais na água, poderia ter sido atacado”, afirmou.

Nenhum comentário:

Postar um comentário