Páginas

Pesquisar este blog

11/07/21

Reajuste da conta de energia elétrica preocupa consumidor

Pode ser uma imagem de dinheiro

Foto: Roberto Kawasaki

Bandeira tarifária vermelha 2 passará de R$ 6,24 para R$ 9,49 a cada 100 kWh de julho até dezembro - um aumento de 52%
PRUDENTE - ROBERTO KAWASAKI de O imparcial de Presidente Prudente
A partir deste mês, a conta de energia elétrica ficará mais cara ao consumidor. Isso porque a Aneel (Agência Nacional de Energia Elétrica) definiu que a bandeira tarifária vermelha 2 passará de R$ 6,24 para R$ 9,49 a cada 100 kWh (quilowatt-hora) de julho até dezembro - um aumento de 52%. Conforme cálculo da FGV (Fundação Getúlio Vargas), o reajuste deve gerar um impacto médio de 8,12% na conta de luz dos consumidores, o que refletirá na inflação.
A justificativa é de que o indicador mais caro de energia foi adotado por causa da crise hídrica, devido ao baixo nível dos reservatórios das hidrelétricas, o que faz com que seja preciso usar mais usinas termelétricas. Desta forma, o custo da energia aumenta. Os valores das demais bandeiras também foram reajustados, conforme anúncio da Aneel: a amarela passa a custar R$ 1,87 a cada 100 kWh; a vermelha patamar 1, R$ 3,97 a cada 100 kWh; e a bandeira verde é gratuita.
A funcionária pública municipal, Telma Cícera de Oliveira, 56 anos, é moradora do Conjunto Habitacional João Domingos Netto, em Presidente Prudente. Ela relata que nos últimos três meses, percebeu uma oscilação no valor da conta de energia elétrica - valores que ficaram entre R$ 120 e R$ 180. “Aqui em casa moro com meu irmão. Então, para duas pessoas esse valor é alto, imagina agora que vai aumentar?” lamenta.
Conforme a prudentina, hábitos de economia já são adotados. Por exemplo, o micro-ondas é colocado na tomada somente no momento em que será utilizado; a máquina de lavar roupas é ligada somente uma vez na semana. “Trabalho fora o dia todo, então, quase nem ligo a televisão. Minha geladeira é econômica, então, praticamente só fica ela ligada durante o dia. E mesmo assim, vem um absurdo na conta”, afirma. A situação piora em decorrência da pandemia. “Nossos salários estão congelados. Se vamos ao mercado, os produtos estão caros. Agora, aumenta a bandeira de energia”.
Justificativa é de que o indicador mais caro de energia foi adotado por causa da crise hídrica, devido ao baixo nível dos reservatórios das hidrelétricas
Consumo consciente
Diante desta mudança, a Energisa Sul-Sudeste alerta para a importância de redobrar a atenção na hora de ligar os equipamentos eletrônicos ou eletrodomésticos. Conforme a concessionária, quando chegar a fatura, é importante observar que o faturamento nem sempre é equivalente ao mês civil fechado, ou seja, nas mesmas datas de início e fim do mês. Por este motivo, pode ocorrer de ter duas cores da bandeira em um mês.
Quando isso ocorre, os valores são proporcionais aos dias do mês em que a bandeira estava valendo. “Não há sobreposição de bandeiras. Por exemplo, sua conta é emitida todo dia 20. Então, nesse caso, você terá 10 dias faturados com a bandeira do mês anterior e 20 dias faturados já com a nova bandeira vigente”, explica a Energisa.
A concessionária ainda ressalta que é importante lembrar que também incidem impostos da bandeira vermelha. “Quando receber sua conta, observe o campo histórico de consumo para saber se o aumento é apenas das bandeiras ou se aumentou o seu consumo. Essa informação é primordial para se programar na hora de economizar”, salienta. “A bandeira é cobrada nas faturas de todos os clientes, inclusive dos beneficiados pela tarifa social. Bandeira tarifária não é a mesma coisa que reajuste ou revisão da tarifa da energia para determinada área de concessão. Esse valor é cobrado para custear a geração de energia mais cara, como por exemplo, usinas termoelétricas. As distribuidoras não têm como interferir nessa cobrança”.
“Bandeira é cobrada nas faturas de todos os clientes, inclusive dos beneficiados pela tarifa social”
Energisa Sul-Sudeste
Dicas para economizar energia
- Tome banhos mais curtos, de até 5 minutos. Ao ensaboar-se ou lavar os cabelos, desligue o chuveiro;
- Ao ligar o ar-condicionado, observe se as portas e janelas do local estão fechadas. Mantenha o filtro dos aparelhos limpos e diminua ao máximo o tempo de utilização;
- Se precisar usar a geladeira, pense antes do que precisa, para deixá-la aberta somente o tempo necessário. Regule a temperatura interna de acordo com o manual de instruções e nunca coloque alimentos ainda quentes dentro dela;
- Verifique as borrachas da geladeira para certificar se ainda estão vedando o equipamento;
- Junte o máximo de roupas que puder e use a máquina de lavar e o ferro de uma só vez;
- Substitua lâmpadas halógenas e fluorescentes por lâmpadas LED. O custo inicial será compensado com a economia de energia;
- Não seque roupas atrás da geladeira;
- Se possível, coloque a geladeira longe dos raios solares, do fogão ou estufa;
- Ao adquirir equipamentos novos, prefira os que tenham o Selo Procel ou classificação A do Inmetro;
- Não deixe a TV ligada sem necessidade e evite usar o modo "stand by", pois ele faz com que alguns equipamentos consumam energia mesmo quando desligados.
Fonte: Energisa Sul-Sudeste
SAIBA MAIS
Criado pela Aneel, o sistema de bandeiras tarifárias funciona como uma sinalização para que o consumidor de energia elétrica conheça, mês a mês, as condições e os custos de geração no país. Quando a produção nas usinas hidrelétricas (energia mais barata) está favorável, aciona-se a bandeira verde, sem acréscimos na tarifa. Em condições ruins, podem ser acionadas as bandeiras amarela, vermelha 1 ou vermelha 2.

Nenhum comentário:

Postar um comentário