Páginas

Pesquisar este blog


13/09/21

 

Jeniffer Dias, de 'Segunda chamada', fala da série, de novo filme e de clipe com o namorado, Yuri Marçal

THAYNÁ RODRIGUES

 

Jeniffer Dias está no ar em 'Segunda chamada' e lançará filme como diretora e protagonista (Foto: Fabio Audi)Jeniffer Dias está no ar em 'Segunda chamada' e lançará filme como diretora e protagonista (Foto: Fabio Audi)

 

Jeniffer Dias, no ar em "Segunda chamada" (Globoplay), se preparou para viver Antonia antes da quarentena e durante o confinamento. A série teve as gravações iniciadas em março de 2020 e foi interrompida com a chegada da pandemia. Agora, acaba de chegar ao streaming. Na história, a personagem de Jeniffer estudará à noite no colégio onde a trama é ambientada e, quando a brisa da manhã chegar, ganhará as ruas de bicicleta para fazer entregas:

— Ela entrega comida por deliveryÉ um trabalho que demanda muita energia, cansa. Conheço meninas parecidas com ela. E Antonia também tem muito de mim: determinação, senso de justiça... Na construção, eu quis deixar evidentes essas características. Vejo as garotas que trabalham de dia e estudam à noite. É uma vontade grande de vencer. E minha determinação é de família. Fui a primeira a entrar na faculdade (ela é formada em Gestão Ambiental), a primeira neta de Dona Ana. Emprestei essa força para Antonia.

A atriz, de 30 anos, viu no papel a chance de conscientizar amigos a respeito da ocupação de alguns jovens:

— Peço delivery, mas busco encontrar, com cuidado, o entregador. Opto por dar gorjeta nas mãos da pessoa, para que não fique tudo para o aplicativo. Tem gente que deixa de pedir comida em casa, mas isso é trabalho para muita gente e tem uma galera precisando de grana. É importante valorizar financeiramente. E acho errado fazer o responsável pela entrega subir (e ir até a porta do apartamento). Muitas vezes, a pessoa está em risco e trabalhando de maneira abusiva. Evitar que se esforce até o nosso andar é o mínimo. É um trabalho perigoso, exaustivo.

 

SIGA A COLUNA NAS REDES

No Twitter: @PatriciaKogut

No Instagram: @colunapatriciakogut

No Facebook: PatriciaKogutOGlobo


Filha da esteticista Ana Paula Dias e criada pelo músico Ernani Ribeiro, do extinto Grupo Pirraça, Jeniffer mantém o amor pela arte na vida afetiva. Ela namora o ator e comediante Yuri Marçal (da série "Homens?") há um ano e cinco meses. Na web, os dois costumam compartilhar curiosidades da vida a dois:

—  Ele é muito engraçado, mas, no dia a dia, é tímido. Há um ano começamos a trabalhar juntos num filme. O nome ainda não foi decidido, mas é uma história que fala de amor. A equipe é majoritariamente preta e feminina. Nós dois somos os protagonistas.

Há alguns meses, o casal também protagonizou um clipe de rap. Em "Som de fazer pivete", de Coruja BC1 com participação de Késia Estácio, Jeniffer e Yuri aparecem, inclusive, em cenas provocantes. Ela lembra como eles receberam o convite:

— É um love song. O roteiro foi proposto pelo Coruja. É bonito, sensível e tem esse ar sensual. É bem sensual, na verdade (risos). Mas nós não tivemos problema em fazer. Não é um tabu falar de sensualidade, do nosso amor preto e do quanto a gente está se amando. Isso é lindo.

Há três anos, Jeniffer também criou o Projeto 111, um coletivo de resistência cultural — liderado também por suas sócias Lorena Lima e Luiza Loroza. Numa casa alugada no Centro do Rio, elas promoviam saraus de poesia, apresentações musicais e de cinema. A prioridade era para produções que valorizassem as minorias simbólicas.

— Quando as pessoas estiverem vacinadas, a gente quer voltar — adianta. 

Outra artista que faz parte de sua vida é Regina Casé. A veterana conheceu Jeniffer numa roda de samba e a convidou para o extinto "Esquenta". O seu samba no pé chamou a atenção de Regina. Naquele ano, aliás, Jeniffer era moradora de Niterói. E se hospedava na casa da "madrinha" (onde dormia no sofá) para ir aos Estúdios Globo com mais facilidade. Ela recorda:

— Morro de saudade de Regina e de todo mundo. Na pandemia, não conseguimos nos ver. Mas graças a Deus estou trabalhando muito. Gravando o filme aqui no Rio, lançando "Segunda chamada". Nos falamos pelas redes sociais. Ela foi a pessoa que me impulsionou a fazer teatro, depois de eu ter participado do programa. Sempre acompanhei a vida dela. Eu via os vídeos de "Asdrúbal Trouxe o Trombone" (grupo teatral brasileiro da década de 1970). Depois passamos a ir ao cinema e ao teatro juntas. Amo demais essa família.

Yuri Marçal e Jeniffer Dias no clipe de Coruja e, à direita, em foto de casal do Instagram (Foto: Reprodução Youtube e Instagram)Yuri Marçal e Jeniffer Dias no clipe de Coruja e, à direita, em foto de casal do Instagram (Foto: Reprodução Youtube e Instagram)

 

Nenhum comentário:

Postar um comentário