Páginas

Pesquisar este blog


15/11/21

Veja quem são os mortos de acidente com ônibus na rodovia Oswaldo Cruz

Pode ser uma imagem de ao ar livre

Foto: Reprodução/TV Vanguarda

Seis pessoas morreram no acidente, entre elas uma criança de oito anos, filha do motorista do coletivo.
Por Poliana Casemiro, g1 Vale do Paraíba e Região
A empresa responsável pelo coletivo envolvido em um acidente na Oswaldo Cruz confirmou a lista de vítimas fatais neste domingo (14).
A princípio, apenas cinco vítimas haviam sido identificadas. Mas, na tarde deste domingo, a sexta vítima foi identificada.
As vítimas são:
Felipe Ramiro dos Santos, de 24 anos
João dos Santos Leite, de 60 anos
Ana Julia Sousa Santos, de 8 anos, filha do motorista do coletivo
Adimilson Ferreira dos Santos, de 41 anos
Solange Santana Novaes, a agente de saúde de 47 anos
Marizete Venâncio
A empresa informou que se responsabilizará pelo traslado dos corpos das vítimas fatais.
Felipe Ramiro, João Leite, Ana Júlia Santos, Adimilson Ferreira e Marizete Venâncio morreram no local do acidente. Eles tiveram ferimentos graves, não resistiram e morreram na hora.
Ana Júlia, filha do motorista, foi identificada pelo pai, o motorista Edson Sabino. Solange Novaes foi reconhecida pelo namorado. Ela chegou a ser socorrida e encaminhada para a Santa Casa de Ubatuba, mas não resistiu aos ferimentos e morreu. Ela deixa dois filhos.
No caso das demais vítimas, a identificação só foi concluída nesta manhã por causa da gravidade dos ferimentos. De acordo com o boletim de ocorrência da Polícia Civil, elas apresentavam lesões graves que dificultavam o reconhecimento e precisariam de exame de DNA para a confirmação.
A empresa responsável pelo coletivo, Viação Arca informou que auxilia a polícia para a identificação da sexta vítima.
Investigação
De acordo com a Artesp, o ônibus alugado por Edson estavam com a documentação e licenças em dia. O que a polícia investiga é se o acidente aconteceu durante uma tentativa de burlar a fiscalização da Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT). Para o transporte interestadual, modelo da viagem proposta pelo frete de Edson, seria preciso uma licença do órgão, que ele não tinha.
A suspeita dos fiscais, é que ele tenha seguido por Ubatuba, de onde tentaria, de forma irregular, seguir para Paraty.
Edson disse à polícia no local do acidente que não sabia que não era permitido o trânsito com ônibus na Oswaldo Cruz e que foi orientado pelo GPS a seguir pela via. No trecho de serra foi flagrado por agentes do Departamento de Estradas e Rodagem (DER) que pediram que ele não seguisse viagem. No retorno, perdeu o controle do veículo, que tombou.
A rodovia Oswaldo Cruz é restrita para o trânsito de coletivos e caminhões desde 2014, por causa do risco de acidentes. Há sinalizações na via que indicam que é proibido o trânsito no local.
Além disso, a dinâmica do acidente também é investigada pela polícia. No boletim de ocorrência consta que em depoimentos passageiros contaram que um veículo no sentido contrário teria feito uma ultrapassagem e invadido a pista em que o coletivo seguia. O motorista tentou desviar, mas o ônibus tombou e a lateral atingiu uma mureta de concreto.
Ao g1, um dos passageiros contou que percebeu as manobras e que Edson teria tentado salvar o grupo de um acidente, mas o coletivo desestabilizou e tombou.
O tacógrafo do coletivo foi apreendido pela polícia. Os agentes não divulgaram qual a velocidade do ônibus no momento do acidente, mas informaram que o item vai para a perícia. A Polícia Civil disse ainda que deve ouvir o motorista, mas que não colheu seu depoimento neste sábado (13) porque precisou ser sedado após saber da morte da filha.

Nenhum comentário:

Postar um comentário