Páginas

Pesquisar este blog


07/01/22

 

Nova temporada de 'Arcanjo renegado' tem policiais da vida real estreando como atrizes: veja histórias e fotos delas


Divulgação/arquivo pessoal/instagram
Gabriela Medeiros

A série “Arcanjo renegado” repetirá uma receita de sucesso em sua segunda temporada: contar com policiais da vida real nas sequências da trama. Desta vez, mais profissionais que nunca tiveram contato com o meio artístico chegam ao elenco para participar das gravações ao lado de atores como Erika Januza, o protagonista Marcello Melo Jr. e a cantora Ludmilla, uma das grandes novidades da continuação.

A segunda temporada da produção deve estrear neste ano, ainda sem data confirmada. As gravações, no entanto, terminaram no fim de 2021.

José Jr., fundador do grupo cultural AfroReggae e idealizador da série, foi um dos responsáveis por recrutar o elenco para esta segunda etapa. Dentre os escolhidos estão a policial civil Stella Maris , de 33 anos, e as militares Clara Messias, de 36, e Iza Dutra, de 33. Iza até ganhou uma personagem na trama, Priscila. Ela será colega de trabalho de Sarah, vivida por Erika Januza.

Saiba como foi a experiência para esse trio que faz sua estreia em frente às câmeras, mas que trouxe uma boa dose de realidade para as gravações.

Um talento escondido que resolveu se arriscar na atuação e deu certo

Iza Dutra é engenheira civil, casada, mãe de um filhinho de 1 ano e policial militar há 11. Superativa nas redes sociais, com 19 mil seguidores, ela compartilha a rotina da profissão para encorajar pessoas, principalmente mulheres, que sonham com a carreira. Depois de sua participação na série, ela até adiciona o que chama de “bico de atriz” à sua lista de atribuições.

— Passei por um teste e ganhei a personagem. Foi algo que nunca vislumbrei, apesar de sempre ter tido cunho para participar das coisas. Sou uma pessoa comunicativa e usei isso a meu favor — conta Iza, que não sentiu muita dificuldade em sua estreia na atuação: — Tem a questão de não poder olhar para a câmera. Mas o jeito de ser e os jargões já são nossos. Quando dava, a gente passava as dicas do que era legal falar, por exemplo, para a Erika Januza. Ela anotava, ia para a cena e usava.

O trabalho desenvolvido pela policial militar foi tão bom, que, no fim das gravações, Iza foi convidada para outra série pensada por José Jr., “O jogo que mudou a história”. A produção ainda não tem data de estreia prevista.

Representatividade na vida real

Clara Messias é policial militar há quase 12 anos, licenciada em Matemática e pós-graduanda em Segurança Pública. Apesar de ser tímida, ela foi indicada para o elenco e conta que gostou de se desafiar em frente às câmeras. Infelizmente, também enfrentou preconceito:

— Minha foto com a Ludmilla e a Erika caiu em uma página no Facebook de policias femininas. Teve um comentário preconceituoso sobre meu cabelo, que estava solto e é black. No dia a dia, prendo para trabalhar. Nas gravações, eu disse que as policiais usavam preso e me deixaram à vontade: “Aqui não tem isso”. Fiquei triste ao ler o comentário, amo meu cabelo, lutamos muito para usá-lo sem vergonha.

Surpresa boa com a participação

Policial civil há seis anos, Stella Maris vem de uma família onde quase todos seguiram a carreira. Pescada de uma entrevista que fez para outra série, ela aceitou o convite para a segunda temporada de “Arcanjo renegado” por curiosidade e se surpreendeu com a experiência.

— Deixaram a gente bem à vontade, fiz o que faria no meu dia a dia — conta ela, para destacar: — É importante ter uma pessoa comum, que não é atriz, representando na série. Pode despertar o desejo de outras mulheres que queiram ser aquilo também. Vendo que é possível ter o cabelo arrumado, ser mãe e ainda trabalhar com isso. É difícil conciliar, o que desestimula muita gente. Mas é possível.

fonte:https://extra.globo.com/

Nenhum comentário:

Postar um comentário