Páginas

Pesquisar este blog


14/01/22

 

Saiba quem são os arromânticos e entenda se pode ser um deles


Crédito: Pexels

Com o crescimento da representatividade em séries e filmes, é provável que você já saiba quem são os assexuais — pessoas que têm pouca ou nenhuma atração sexual por outras. Mas você sabe o que é ser arromântico? (Spoiler: os dois termos não são sinônimos).

Com informações da revista “Shape”, entenda a arromanticidade — e saiba se ela pode ser parte da sua vida.

O que é arromanticidade

“Uma pessoa arromântica é alguém que se identifica como tendo pouco ou nenhum interesse, desejo ou experiência de atração romântica por outras pessoas”, explica Jesse Kahn, diretor e terapeuta sexual do Centro de Terapia Sexual e de Gênero de Nova York, Estados Unidos. Já segundo a psicoterapeuta somática Elmo Painter-Edington, a maioria dos arromânticos não têm interesse em relacionamentos românticos; no entanto, alguns deles vivenciam a atração romântica em uma forma que foge do convencional. 

arromanticidade existe em um espectro: pessoas podem ter diversos tipos de experiências diferentes, portanto, a definição e identidade de arromântico difere de pessoa para pessoa. Para saber exatamente em qual definição da palavra alguém se refere quando diz ser arromântico, é preciso perguntar.

Orientação romântica x Orientação sexual

Para compreender o conceito completamente, é preciso entender as diferenças entre atração sexual, atração romântica, orientação sexual e orientação romântica. 

atração romântica é tipicamente caracterizada pelo desejo de se conectar com uma pessoa a nível emocional, se apaixonar e ser correspondida, envolver-se em contato físico e passar tempo com essa pessoa. É o tipo de atração que leva as pessoas a se juntarem em casais. Já a atração sexual é o tipo de atração que faz alguém desejar o contato sexual ou demonstrar interesse sexual em outra pessoa. 

Elmo explica que a orientação romântica descreve com quem você gostaria de estar junto, se apaixonar, ter um relacionamento e se sentir atraída emocionalmente. Já a orientação sexual é a descrição do(s) gênero(s) pelo(s) qual(is) você se sente atraída, sente desejo e vontade de engajar em experiências sexuais. 

Apesar de parecerem similares, estes conceitos são diferentes, e não diferenciá-los é negligenciar o fato de que alguém pode se sentir romanticamente atraído por um gênero pelo qual não sente atração sexual, por exemplo. 

Arromanticidade x Assexualidade

Apesar de não serem sinônimos, Elmo explica que os dois termos podem estar alinhados, já que arromanticidade é uma orientação romântica (assim como heteroromanticidade e a homoromanticidade) e assexualidade é uma orientação sexual (assim como a heterossexualidade e a homossexualidade). 

Uma pessoa arromântica pode sentir atração sexual por qualquer um dos gêneros, e o inverso também vale: uma pessoa assexual pode sentir atração romântica por uma ou mais pessoas. No entanto, é possível que uma pessoa arromântica também seja assexual, o que significa que ela, provavelmente, não deseja um relacionamento amoroso convencional ou qualquer tipo de contato sexual com ninguém. 

Entretanto, Elmo revela que pessoas arromânticas e assexuais ainda podem ter a capacidade de construir relacionamentos profundos. “Eles podem construir um relacionamento baseado na intimidade espiritual, por exemplo”, diz. “Todo o grupo de amigos pode funcionar como seu parceiro principal, ou eles podem encontrar satisfação relacional com uma comunidade online ou um grupo de jogos”.

É importante mencionar que, mesmo sendo arromântica, uma pessoa ainda pode estar em um relacionamento ou ter um(a) companheiro(a) — e essa relação funcionaria nos moldes dessas duas pessoas. 

Sinais de que você pode ser arromântica

Você gostou do que leu até aqui

Representatividade importa, e encontrar uma linguagem que “combine” com você pode ser libertadora. Se você se interessou e/ou se identificou com a definição de arromanticidade, você pode estar no espectro.

Seu histórico romântico sugere que você não está interessada em se relacionar romanticamente

Jesse recomenda analisar seu histórico de relacionamentos, caso exista um. Você entrou em um relacionamento porque sentiu vontade de se conectar emocionalmente com a outra pessoa ou porque se sentiu pressionada? E se você nunca teve um relacionamento, por quê? Você não tem interesse em se relacionar romanticamente ou simplesmente não encontrou alguém que valesse a pena?

Segundo Elmo, assim como sua orientação sexual e seu gênero, sua orientação romântica pode evoluir com o tempo — ou seja, ter um passado romântico não te impede de ser arromântica atualmente. 

Você não consegue entender desejos românticos de outras pessoas ou personagens

É comum para pessoas arromânticas se sentirem confusas com as “paqueras” de seus amigos, bem como os amores representados nas telas de televisão. Por isso, reflita sobre os sentimentos românticos que um(a) amigo(a) pode ter te contado sobre: você consegue ao menos se lembrar de ter sentido algo remotamente parecido com o que a outra pessoa te descreveu?

Em seguida, tente lembrar de filmes clássicos de romance, como “Titanic”. Você se emocionou? E se sim, foi por empatia ou por imaginar que perder um amor como aquele seria devastador? Se você não se emociona com situações e produções similares, pergunte-se por quê. 

Você prioriza outros tipos de cuidado para seu futuro

Pense no que você imagina para seu futuro. Pergunte-se coisas como: de que forma me enxergo daqui cinco anos? Me vejo morando com alguém? E se você pensa em ter filhos, pergunte-se: me vejo sendo a única responsável por uma criança? Alguém mais está envolvido? Se sim, qual é o tipo de relação que desejo manter com essa pessoa? 

Independentemente de suas respostas, saiba que o futuro é uma possibilidade real. “O bonito sobre relacionamentos — e toda essa nova linguagem que nos ajuda a comunicar nossos desejos — é que podemos criar e definir relacionamentos de maneiras mais inovadoras e pessoais”, defende Elmo. E isso serve igualmente para românticos e arromânticos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário